AÉCIO GANHA A PRIMEIRA SEMANA

AÉCIO GANHA A PRIMEIRA SEMANA

Spread the love

O candidato tucano Aécio Neves ganhou o round da primeira semana do segundo turno. Fechou um largo leque de alianças que começaram na segunda-feira, com a adesão do PPS, e terminaram no domingo, 12, com a declaração de apoio de Marina Silva e da família Campos, depois de receber apoios à esquerda e à direita, como do PSB e do PV, Pastor Everaldo e bispo Malafaia, Clube Militar e Jair Bolsonaro, sem falar no mercado e na Bolsa, que subiu com a divulgação da pesquisa Sensus, dando ao tucano 17,6 pontos porcentuais de vantagem sobre Dilma. Para facilitar a adesão de Marina, e atrair eleitores de esquerda decepcionados com Dilma, lançou um documento que encampa propostas e políticas dos governos petistas. Deitou e rolou no horário eleitoral explorando o conselho do secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, para que a população boicote a carne, que tem subido de preço, trocando por peixe ou ovos.

Os petistas admitem sua vantagem inicial mas subestimam o efeito Marina Silva. Acham que ela tem limitada capacidade de transferir votos e que, antes de sua declaração de apoio, que demorou uma semana para acontecer, já tinham ido para o colo de Aécio seus eleitores que não ficariam mesmo com Dilma. Seriam de 60% a 70% dos que votaram em Marina no primeiro turno. Contestam a pesquisa Sensus/IstoÉ, que dá uma vantagem de 17 pontos ao tucano, apontando-a como parte do esforço da mídia para criar “fatos psicológicos adversos”. No tracking da campanha de Dilma, no domingo, ela estaria um ponto à frente de Aécio.

AÉCIO GANHA A PRIMEIRA SEMANA

Avaliam que a largada vantajosa do tucano de decorreu do impacto positivo de sua virada espetacular na reta final do primeiro turno e da divulgação, ainda sob o calor da apuração, das revelações da delação premiada de Paulo Roberto Costa e Alberto Yousef. O efeito dos dois fatos já estaria se dissipando. A campanha de Dilma espera mudar o jogo na semana que começa hoje, apostando em três movimentos:

  1. Despertar a militância, que se intimidou ou ficou tonta com o resultado do primeiro turno. O PT está convocando sua tropa a voltar para a rua e enfrentar a batalha das duas próximas semanas.
  2. Lula começa amanha uma viagem de campanha pelo Norte e o Centro-Oeste. Depois irá a Pernambuco e ao Nordeste mas não quer ir agora, em cima da declaração de apoio da família Campos ao tucano.
  3. Dilma se prepara para ter um bom desempenho no debate de amanhã na TV Bandeirantes, de modo a obter melhor resultado nas pesquisas que serão divulgadas no final da semana.

Mas seu calcanhar de Aquiles continua sendo o inquérito sobre corrupção na Petrobrás, conduzindo pelo juiz Sergio Moro, que já propiciou a divulgação de revelações explosivas dos dois delatores, acusando PT, PMDB e PP de receberem propinas pagas por fornecedores da estatal. O PT vai recorrer ao STF para tentar enquadrar o juiz, acusando-o de agir com interesse eleitoral. Dilma vem sendo aconselhada a deixar este assunto com o partido, a parar de falar em golpismo e apenas defender punição para quem tiver culpa provada.

Nas duas próximas semana, os dois exércitos vão para o tudo ou nada, com todas as armas